servicos

Get Adobe Flash player

Revisão da ABNT NBR 5419

Depois de quase dez anos de trabalho intenso, revisão da NBR 5419 entra na reta final com o envio do projeto para consulta nacional. Expectativa é que norma seja publicada em 2015 e transforme a maneira de trabalhar com proteção de estruturas contra descargas atmosféricas no Brasil.

O Brasil está a poucos passos de elevar o nível de proteção de estruturas contra descargas atmosféricas. O país, que é o campeão mundial em incidência de raios, entrou na fase final da revisão da ABNT NBR 5419.

Segundo o Grupo de Eletricidade atmosférica (ELAT), por ano o Brasil é atingido por cerca de 50 milhões de raios, a cada 50 mortes no mundo, uma é no Brasil. São 130 mortes e mais de 200 feridos por ano, sem contar os prejuízos financeiros causados para o país, que são estimulados em cerca de um bilhão de reais.

Os riscos também se estendem às edificações, um prédio residencial, por exemplo, pode sofrer danos sérios se for atingido por uma descarga atmosférica, inclusive com a queima de equipamentos e risco de incêndio.

Para evitar esses riscos o caminho é adotar medidas adequadas de proteção daí a importância da NBR 5419 que é referente à proteção de estruturas contra descargas atmosféricas. A última versão desse documento foi em 2005 e, agora, ele está passando por um profundo e complexo processo de revisão.

De acordo com alguns especialistas o novo texto agregou muitas novidades e detalhamento, para ter uma dimensão do tamanho da mudança, basta verificar o numero de páginas da versão atual da NBR 5419 e do projeto que está em consulta.

O desenvolvimento do projeto de revisão foi longo e desafiador, ele teve início em 2005, tendo como base a norma IEC 62305-1. Comparada à atual versão da NBR 5419, a IEC 62305 é bem mais ampla e completa. Tanto que está dividida em quatro partes. Em sua última revisão ocorrida em 2010, à opção da IEC foi agrupar assuntos de outras normas, iniciativa que permitiu a organização das regras para Sistemas de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA) de um modo mais global. E foi este mesmo caminho que a revisão NBR 5419 seguiu.

Além disso, o documento também ampliou seu poder de cobertura com a divisão em quatro partes: Princípios Gerais, Gerenciamento de Risco, Danos Físicos às Estruturas e Perigos à vida, e Sistemas Elétricos Internos na Estrutura.

Essas alterações e a evolução da norma tende trazer benefícios e vantagens a todo o mercado sendo que o aspecto mais evidente é o aumento da segurança nas instalações.

Para Nuno Poças, diretor da Montal Para-Raios, poderá haver inclusive uma maior profissionalização no mercado. “Porque existem profissionais sérios no setor dispostos a estudar e a se adequar. Porque essa norma não é só dar uma lida e sair fazendo projeto. Há um tempo de manutenção para que o profissional possa estudar, esclarecer dúvidas, para depois aplica-la. Então sob esse ponto de vista vamos melhorar bastante. As empresas especializadas em SPDA, aterramentos e medidas de proteção com certeza  vão oferecer sistemas muito mais adequados  e com um nível muito melhor de projeto e instalação”, comenta.

 

Fonte: Abrene Potência

Ler 4426 vezes

Cadastre-se


E receba notícias e dicas sobre produtos da Montal, cads, normas e palestras.

Telefax: (31) 3476-7675 - Email: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Rua Castelo de Sintra, 98 - Bairro Castelo - Cep. 31.330-200 - BHte - MG